Leia também

Governança de TI: entenda o papel nas pequenas e grandes empresas

A governança corporativa pode ser entendida como um conjunto de condutas que exercer autoridade. Assim, envolve estratégias que auxiliam as empresas a se adequarem à legislação vigente, que tenham equilíbrio entre valores e interesses. 

Dentro desse conceito, as condutas definem as responsabilidades da empresa e dos profissionais envolvidos e ajudam a desenhar os processos para tomadas de decisão.  

Além disso, a governança incentiva ações importantes, como: análises, fiscalização, planejamento e diversas outras tarefas importantes durante esse processo. 

Quando falamos da governança de TI, entendemos como é importante levar essas diretrizes para o setor. Isso porque as ferramentas tecnológicas é uma das principais aliadas das empresas em seu crescimento. 

Conforme estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), somente em 2017, as soluções de TI foram responsáveis por contribuir 7,7% nas receitas das empresas. 

Portanto, é necessário aplicar a governança de ti a partir de seus conceitos que aplica diretrizes, competências e responsabilidades nas estratégias do setor, com a finalidade de guiar a performance da equipe e gerar suporte para a tomada de decisões. 

Então, para compreender mais sobre o tema e saber como pode aplicar em seu setor de TI leia este artigo na íntegra! 

O que é governança de TI? 

Por volta de 1990, a governança de TI como uma das membranas da governança corporativa e se torna uma das responsáveis por massificar a informática nos países, tornando possível estruturar a área de tecnologia nas empresas, conforme metas e objetivos das organizações. 

Desse modo, entendemos a governança de TI como um conjunto de normas, práticas, ações e controles específicos competências que são aplicados com intuito de promover um alinhamento estratégico para o setor de tecnologia dentro das empresas. 

Além disso, a prática também assume responsabilidade assumidas pela governança corporativa, a fim de promover o controle dos processos e, consequentemente, otimizar a execução de tarefas. 

Oferecendo suporte para tomada de decisões, a governança de TI garante a segurança dos dados, monitora metas e resultado das ações. 

‍Resumindo, a governança de TI vai definir como métodos e recursos tecnológicos serão empregados dentro da empresa, com base em normas e políticas que precisam ser cumpridas conforme missão, visão e metas da organização. 

Pilares da governança de TI 

Assim como outras metodologias corporativas, a governança de TI também trabalha com alguns pilares. Confira os cinco pilares essenciais: 

Alinhamento estratégico: contribui para o alcance dos objetivos da empresa; 

Gestão de recursos: aqui, gestores focam em desenvolver programas de manutenção, renovação e melhoria contínua dos recursos de TI; 

Gestão de riscos: investindo em infraestrutura de TI para reduzir riscos, como perdas de dados, assim apoiando o enfretamento a eventos adversos; 

Geração de valor: foco em facilitar a geração de valor por meio dos processos e entrega ao cliente; 

Mensuração de resultados: é importante ter atenção a mensuração dados que passam por hardwares e softwares empresariais, para apoiar a tomada de decisão. 

Leia também: ESG e Compliance transformando a governança nas empresas   

Impacto e benefícios 

Ao saber objetivos da governança de TI, podemos analisar impactos positivos e ganhos. Veja como influenciam os negócios! 

Automação de processos 

Ao implementar uma governança para área de TI, é possível desenvolver um workflow que automatiza de processos. Alguns exemplos: 

  • Chatbot; 
  • Ferramenta de disparo de comunicados; 
  • Soluções para automatização fiscal e contábil. 

Assim, vemos que pequenos atos de gestão no setor de tecnologia podem otimizar os resultados. 

Segurança da informação 

A governança de TI nas empresas diminui consideravelmente os riscos de perda de informações e ataques cibernéticos, isso porque permite uma visão completa sobre o sistema, dados que transitam nele e como são armazenados e utilizados. 

Redução de custos 

Por meio de diretrizes e práticas, a empresa obtém melhoria na produtividade, menores custos com serviços e investimentos desnecessários em hardwares. 

Além disso, o treinamento de profissionais faz com que os ativos sejam utilizados da melhor forma possível. Nesse sentido, a conduta e soluções se transformam em grandes aliadas na redução de custos. 

Time mais estratégico 

A partir das normas e planejamento, a equipe de TI tem a possibilidade de agir de maneira estratégica e, consequentemente, desenvolver soluções mais estratégicas

Isso ocorre porque há um mapeamento dos desafios e oportunidades, para traçar um planejamento baseado em dados relevantes. Assim, consegue propor caminhos mais eficientes e obter maior retorno. 

Ou seja, o setor passa a pensar na estratégia, mas sem perder de vista a operação, demonstrando como a transformação digital melhora produtividade, performance, resultados e métodos. 

Além desses benefícios, também é possível observar melhorias em outras frentes, como: 

  • Competitividade; 
  • Comunicação interna; 
  • Confiança da empresa e clientes; 
  • Flexibilidade na atuação da equipe. 

Claro que, no dia a dia, profissionais e gestores conseguem analisar as melhorias que a governança de TI proporciona à equipe e toda empresa. 

Entenda a ISO/IEC 38500 

A governança de TI conta com normas que direcionam o trabalho, uma delas é a norma ABNT ISO/IEC 38500. Conheça um pouco! 

A ISO/IEC 38500 é uma norma internacional de governança de TI, que a International Organization for Standardization (ISO) publicou em parceria com a International Electrotechnical Commission (IEC).  

No país, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) representa oficialmente a ISO e disponibiliza a ISO/IEC 38500 em português. 

A norma ISO/IEC 38500 estabelece seis princípios para uma boa governança de TI, que são: 

  1. Responsabilidade 
  1. Estratégia 
  1. Aquisição 
  1. Desempenho 
  1. Conformidade 
  1. Comportamento humano 

Complemente a leitura com Tecnologia atrelada à LGPD: modernização e adequação 

Veja também o que é o COBIT 

Control Objectives for Information and related Technology (COBIT) é um framework lançado em 1996 pela ISACA, a fim de ajudar profissionais de tecnologia a entenderem, criarem e implementarem a governança de TI. Atualmente, as empresas trabalham com a versão COBIT 2019. 

Essa nova versão expandiu os princípios de governança de TI, separando em dois grupos: 

  1. Dedicado ao sistema de governança, com os seguintes princípios: 

Sistema de governança dinâmico; 

Prover valor para as partes interessadas; 

Adaptar-se às necessidades da empresa; 

Abordagem holística; 

Governança distinta do gerenciamento; 

  1. Dedicado a framework de governança, com os princípios: 

Baseado em um modelo conceitual; 

Alinhado com principais padrões; 

Aberto e flexível. 

O COBIT 2019 também apresenta listas de componentes de sistema, áreas de foco, fatores de desenho, metas e objetivos de governança de TI. 

Sugestão de leitura: Entenda o planejamento estratégico, para aplicar na sua empresa   

Como implementar a governança de TI nas empresas? 

Vimos como a governança de TI é importante para as empresas e passa ser uma prática crucial para o setor de tecnologia das organizações. Assim, surge a necessidade de implementá-la. 

Entretanto, é fundamental que exista um alinhamento interno. Veja algumas sugestões! 

Defina seu SLA 

O Service Level Agreement (SLA), ou seja, acordo de nível de serviço, é um instrumento de governança de TI considerada fundamental, pois estabelece prazos para solução de ocorrências que comprometam o funcionamento da infraestrutura de informática. 

Então, antes de implementar, defina o acordo de nível de serviço de maneira racional, para que não gere atropelos e demais problemas nos atendimentos de TI.  

Vale citar que essa é uma escolha que pode ser revisado, incrementada periodicamente, conforme melhorias que forem ocorrendo após a implementação da governança de TI. 

Escolha um framework 

Como havíamos comentado, existem frameworks de governança de TI que auxiliam o dia a dia dos profissionais, pois é uma estrutura com melhores práticas para garantir que a TI consiga gerar resultados alinhados à estratégia organizacional. Portanto, a gestão pode escolher entre os modelos de mercado, como por exemplo o COBIT. 

Alinhe a equipe de TI com a estratégia empresarial 

Respeitando a hierarquia corporativa, é normal que esse poder de decisão fique nas mãos de CEO (Chief Executive Officer, ou diretor executivo) em conjunto com outros stakeholders. 

Mas, é importante alinhar as definições e ações com os membros das equipes, para que a organização consiga obter resultados da governança de TI.  

Além disso, é possível promover ações que alinhem os colaboradores, promova estratégias de engajamento e a valorização da cultura organizacional voltada à governança. 

Analisar a eficácia da governança de ti

Durante essa fase de implementação e adaptação a gestão irá analisar os resultados, melhorias e aperfeiçoamento de ações e tarefas, avaliando a necessidade de melhoria contínua da governança de TI. 

Assim, é possível em curto espaço de tempo verificar o que tem dado errado, traçar novas estratégias, investimentos e envolvimento de profissionais. 

Invista também em conformidade legal 

A governança de TI impacta positivamente na área de tecnologia das organizações, mas também influencia no planejamento e o controle da conformidade legal.  

Esse investimento na conformidade legal traz tranquilidade para os gestores do negócio, pois facilita o cumprimento dos requisitos legais aplicáveis à empresa. 

A legislação brasileira passa por atualizações constantemente, por isso, é fundamental aplicar conformidade em outros setores e aplicar processos automatizados, para dinamizar e otimizar a organização como um todo. 

Acesse nosso blog para ler mais sobre legislação brasileira 

StarSoft Applications auxiliando na governança de TI 

Por ser um sistema de gestão empresarial que integra as áreas de uma organização e possibilita que tarefas sejam automatizadas com segurança, o ERP da StarSoft auxilia diretamente na governança de TI. 

Isso ocorre porque o StarSoft Applications aplica métodos que acompanham normas e diretrizes de governança do setor, fazendo com que haja padronização dos processos, análise de resultados e possibilidade de reformulação. 

Além disso, é um ERP que segue a legislação brasileira, colaborando para uma correta governança corporativa e gestão fiscal segura. 

Para conhecer o ERP da StarSoft, entre em nosso site e fale com um de nossos especialistas! 

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Assine aqui nossa news: conteúdos do mundo do RH.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Assine nossa newsletter

    Posts Relacionados.

    Comentários.