fbpx
Leia também

6 melhores práticas de segurança de dados

A segurança de dados é um dos assuntos mais importantes para as empresas, principalmente depois da criação da LGPD. Por isso, executivos e gestores têm ficado atentos a tudo que envolve boas práticas de proteção de informações. 

A segurança de dados é uma tarefa importante para as organizações, pois evita que sejam penalizadas ou, ainda, que prejudique a reputação e perca a confiança do mercado. 

 Apesar do assunto ser relevante, alguns líderes ainda não conhecem as facetas da proteção de informações e acabam gastando esforços em outras áreas, afetando diretamente nessas boas práticas. 

Portanto, este conteúdo foca em melhores práticas de segurança de dados e como gestores e colaboradores podem corroborar, para que de fato a empresa esteja assegurando as informações de clientes, profissionais e suas próprias. Confira na íntegra! 

Mas, por que falar do tema?

Como já tratamos neste artigo LGPD: saiba os riscos e multas, em 1º de agosto de 2021 as sanções previstas da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) entraram em vigor e as empresas que, ainda não tinham se adequado, tiveram que correr contra o tempo e ajustar seus métodos de tratamento de informações.  

Neste sentido, refletir sobre segurança de dados é crucial para começar a implantar procedimentos de segurança de informações e, assim, prevenir riscos internos, multas e problemas externos. 

É importante citar a necessidade de ampliar melhores práticas de proteção de dados por conta dos constantes ataques cibernéticos, os quais podem sim atingir as empresas, caso não haja ações de segurança.  

Conforme levantamento realizado pela Veronis, apenas 5% dos arquivos das empresas estão devidamente protegidos. Esse estudo exemplifica como as empresas precisam elevar sua segurança. 

Portanto, as organizações e líderes que não implementam políticas e práticas de segurança de dados estão colocando suas atividades em risco e, consequentemente, diminuindo a proteção de informações de seus clientes e colaboradores também. 

E, obviamente, a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) e autoridades estão prontos para investigar e penalizar as empresas. Desse modo, pode haver prejuízos financeiros e imagem perante o mercado. 

Então, é fundamental discutir sobre o assunto e aprender boas práticas, a fim de desenvolver essas ações internamente. 

O que é segurança de dados

Segurança da informação pode ser entendida de maneira didática como esforços e desenvolvimento de medidas que reforçam a segurança de dados, especialmente as sensíveis, que são: de usuários e organizacionais. 

Portanto, está voltada a medidas que mantenham o acesso às informações com total segurança, impedindo invasões, compartilhamentos indevidos e mantendo a integridade desses dados. 

Mas, o que são esses dados? Bom, a proteção inclui assegurar informações, como: identificação pessoal, dados corporativos e governamentais, informações de saúde, dados sobre propriedade intelectual, comportamento de consumo, entre outros. 

Já se foi o tempo em que firewalls simples eram as únicas medidas de segurança. Hoje, é preciso de mais. Por isso, os gestores não podem mais deixar a segurança da informação em segundo plano. 

Um ponto importante é a necessidade de intensificar a atuação de softwares de proteção contra cibercrimes. Conforme o relatório de 2020 Webroot Threat Report, 93,6% dos malwares analisados na pesquisa eram considerados polimórficos. 

Ou seja, esses programas perigosos possuem a habilidade de modificar seu código para fugir dos mecanismos de proteção. 

Contudo, esses perigos podem ser evitados a partir de uma série de ações que fortalecem a segurança dos dados e das empresas. 

Pilares da segurança de dados

Você sabia que a segurança de dados se apoia em pilares básicos? Eles são importantes até mesmo para compreender a importância das práticas. Veja quais são.

Confidencialidade

De modo simples, a confidencialidade ocorre por meio da privacidade da informação. Ou seja, os dados só podem ser acessados por pessoas autorizadas. 

O setor de TI tem grande contribuição nesse processo, pois os profissionais da área e tecnologias são capazes de impedir o acesso não autorizado aos dados confidenciais.

Integridade

Bastante associada à confiabilidade, a integridade tem o objetivo de manter as informações livres de alterações e se mantenham exatas. Assim, as empresas podem usá-las de maneira eficiente. 

Disponibilidade

A disponibilidade é um pilar importante, pois assegura que as informações estejam acessíveis às pessoas autorizadas. Uma ferramenta que pode auxiliar nessa tarefa é a computação a nuvem. 

A nuvem é um recurso de acesso remoto que, além de possibilitar a utilização, também potencializada a segurança dos dados armazenados nos provedores.

Autenticidade

Por último, a autenticidade significa registrar todos os acessos, para que seja identificado quem realizou as operações, atualizações e exclusões. Assim, é garantido a confirmação de autoria e originalidade. 

As melhores práticas de segurança da informação

Além do investimento em sistemas e recursos tecnológicos, os gestores precisam implementar a segurança da informação na cultura organizacional e incentivar colaboradores a seguirem diretrizes e políticas de proteção de dados. 

Portanto, desenvolvemos essas melhores práticas de segurança de dados, que podem ser aplicadas perfeitamente nas organizações. Veja! 

1. Treine sua equipe sobre proteção de dados

Para, de fato, implementar a segurança de dados na cultura da empresa e fazer com que se estenda a todos os setores, os executivos precisam impulsionar os treinamentos para todas as equipes. 

Esses treinamentos envolvem capacitação, engajamento e preparação dos colaboradores, a fim de que todos entendam a importância da proteção das informações de clientes e deles mesmos. 

2. Esteja em conformidade

Também conhecida como “compliance”, a conformidade é uma tarefa importante para qualquer organização, pois afasta perigos de penalizações e multas. Assim, anda de mãos dadas com a segurança de dados. 

Vale lembrar que essa é uma atividade que abrange para todas as áreas e controles internos da empresa, fazendo com que ocorra uma adaptação às regras. Ou seja, desde o setor fiscal até o RH, todos precisam se adequar às boas práticas e assegurar as exigências de proteção de dados. 

Leia: Compliance – o que é e como aplicar na empresa 

3. Utilize ferramentas de criptografia

Escolher ferramentas de criptografia é uma das tarefas mais importantes da área de TI em relação à segurança. Além disso, é uma atitude básica dos gestores que se preocupam com a empresa.  

Essa é, possivelmente, uma medida importante para assegurar os dados e recursos que necessitam de um sistema conectado à internet. 

Mas, você sabe o que é criptografia? Pois bem, esse é um recurso de segurança para acessos e senhas, impedindo que softwares maliciosos e hackers invadam os sistemas para roubar essas informações. 

4. Invista em Cloud Computing

A computação em nuvem representa uma ferramenta bastante atual, que você pode utilizar para administrar dados, registrar e armazenar tudo online, sem a necessidade de uma infraestrutura gigantesca. 

Desse modo, evitar que colaboradores percam documentos e dados importantes. Além disso, a criptografia da nuvem dificilmente alguém pode quebrar, ou seja, promove maior segurança digital. 

5. Políticas de segurança

As políticas de segurança são essenciais, pois protocolam e deixa salvo em um documento todas as diretrizes necessárias para proteger os dados e a empresa também. 

Assim, além de incentivar os colaboradores com a cultura organizacional, os gestores também auxiliam os profissionais a como proteger as informações por meio de instruções importantes. Acompanhe alguns exemplos: 

  • Utilização correta do sistema; 
  • Acesso somente autorizado; 
  • Backups regulares; 
  • Configuração de firewalls; 
  • Utilização de antivírus; 
  • Respeito às diretrizes da LGPD. 

6. Implante a segurança contra ataques Ransomware

Já ouviu falar de Ransomware? Esse é um sistema desenvolvido intencionalmente para criptografa os arquivos de pessoas e empresas, de maneira que os titulares não conseguem mais ter acesso a seus dados. 

Ou seja, é um malware bastante perigoso. A área de TI das empresas precisa ter muita atenção a esse sistema mal intencionado e encontrar maneiras de afastar o perigo. Veja como se proteger.  

  • Desenvolver ação junto à equipe de TI; 
  • Atentar-se ao backup dos arquivos; 
  • Aconselhe colaboradores a não instalar softwares sem autorização. 

Utilização de Blockchain na segurança de dados

O Blockchain auxilia no processo de registro de transações e rastreamento de ativos nas organizações, independentemente do setor de atuação. Além disso, atua no acompanhamento dos processos. 

Desse modo, a segurança de dados baseada nesse sistema tem a possibilidade de rastrear alterações e qualquer dado perdido ou excluído. Assim, o colaborador e trabalho não ficam prejudicados. 

Conclusão

A segurança de dados é realmente uma tarefa fundamental para as organizações e seus conceitos precisam estar enraizados, desde as áreas operacionais até a gerencia. 

Os tomadores de decisão precisam estar atentos à cultura organizacional, treinamento dos colaboradores e implantação de medidas capazes de elevarem a proteção das informações, inclusive é necessário envolver o TI nessa jornada. 

A partir dessas melhores práticas de segurança de dados, clientes e empresa estão protegidos de perder dados ou haver ataques.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Assine aqui nossa news: conteúdos do mundo do RH.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Assine nossa newsletter

    Posts Relacionados.

    Comentários.