fbpx
Leia também

Mulheres na TI: profissionalismo, desafios e inclusão

Conforme explica o Caged, o setor tecnologia demonstrou crescimento de 60% de representatividade feminina na área de TI. Mas, será que é o suficiente? 

Antes tudo, é importante refletir sobre quantas mulheres trabalham na área de TI ao seu lado, se há de fato uma equipe diversa e porque, possivelmente, não ocorre essa inclusão. 

“Podemos pensar que essa dificuldade de encontrar mulheres no setor de tecnologia é um fator que influencia há muito tempo, por exemplo na escola. Na época, não havia incentivo a matérias mais lógicas e de matemática para as meninas. Depois, já na universidade, nos deparamos com turmas majoritariamente masculinas, fazendo com que não sinta representadas e pertencentes”, explicam especialistas da StarSoft. 

Cenário das mulheres na TI 

Mesmo com um cenário de anos sendo dominado por figuras masculinas, o setor de Tecnologia da Informação (TI) tem passado por uma transformação e elevado a adesão de profissionais mulheres na área. Entretanto, os índices ainda estão longe de serem igualitários. 

Conforme divulga o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, mulheres na TI representam apenas 20% do total dos profissionais inseridos no mercado. 

No final de 2021 também foram apresentados dados mais animadores sobre o setor, apontando um crescimento de 60% de representatividade feminina nos últimos cinco anos. 

Desse modo, a área passou de 27,9 mil mulheres na TI, desempenhando cargos animados, para 44,5 mil.  

Os dados são bastante animados. Se comparado aos EUA, 25% dos empregos com figuras femininas em TI, os números são bem parecidos. 

Vale citar que, atualmente, as mulheres estão em diferentes cargos na TI, como: programadoras de software, arquitetas ou engenheiras de softwares e, inclusive, gerenciando equipes de tecnologia, com o perfil de liderança. 

Leia também: Jovens no TI. Os nativos digitais que escolheram a tecnologia como profissão 

Mulheres na TI: profissão e cargos promissores 

Como citamos, as mulheres estão em diferentes cargos na área de TI, não somente em funções operacionais, como em liderança e como tomadoras de decisão. 

Ou seja, há uma ampla lista de funções que as mulheres conseguem exercer no setor de tecnologia. Por isso, separamos alguns para apresentar neste conteúdo. Veja: 

Gerente de Tecnologia da Informação: profissionais responsáveis por todos os aspectos da tecnologia de uma organização. Assim, garantem o perfeito funcionamento e segurança cibernética estejam. 

Desenvolvedora Web: a mulher nessa função cria sites atraentes e com melhor usabilidade. Além disso, cuida da abertura dos sites, colabora com desenvolvedores de back-end e designers gráficos. 

Cientista de dados: a profissional cientista de dados tem funções específicas, como: coleta, limpa, organiza e avalia os dados, para que ocorram uma visão prática dos negócios.  

Desenvolvedora de software: uma das funções operacionais mais importante, como desenvolnedora, a mulher vai para resolver problemas complexos, encontrar maneiras de diferentes aplicativos trabalharem juntos, localizar e corrigir erros e otimizar os aplicativos existentes para novos sistemas e propósitos; 

Analista de segurança da informação: uma das funções mais importantes é analisar segurança da informação, monitoram os sistemas de computador em busca de tudo e qualquer coisa que possa, representam uma ameaça à segurança.  

Arquiteta da nuvem: por conta da migração dos dados para a nuvem, profissionais para outros profissionais também foram necessárias. Assim as arquitetas de nuvem são responsáveis por configurar todos os componentes gerenciar os dados em muitos servidores remotos.

3 dicas para ingressar nesse mercado de TI  

1. Não fique amedrontada por ser minoria no ambiente 

Mesmo que você se sinta deslocada em um primeiro momento, já que é um ambiente majoritariamente masculino, confie em seu potencial nos processos seletivos e veja como uma chance de, realmente, haver inclusão na contratação. 

Esteja concentrada no fato de que você é única e tem algo para contribuir. Aproveite sua singularidade e ajude incentive mulheres a fazerem o mesmo. 

2. Não se subestime 

Não se subestimar é, principalmente, confiar em você como profissional qualificada para seu job. Então, assuma o controle do que você sabe e aproveite para mostrar suas habilidades. 

Sabemos como alguns ambientes podem ser machistas, por isso, caso ocorra alguma situação relacionada a isso, confie em você e procure as políticas internas para te apoiar a resolver contratempos assim. 

3. Nunca pare de aprender 

Assim como outras áreas, é importante se manter informada! As tecnologias estão constantemente em plena evolução. A cada ano, novas soluções surgem, assim é preciso se reciclar e se capacitar, a fim de se manter atual perante o mercado. 

Assim, busque sempre a expansão contínua de seu conjunto de habilidades, aproveitando as oportunidades de aprendizado e desenvolvimento disponíveis.

Gostou desse conteúdo? Fique por centro do nosso blog e mantenha-se sempre informado. 

Para falar com nossos especialistas e compreender o melhor ERP para sua empresa, entre em contato conosco pelo site, que vamos adotar te auxiliar! 

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Assine aqui nossa news: conteúdos do mundo do RH.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Assine nossa newsletter

    Posts Relacionados.

    Comentários.