fbpx
Leia também

Privacidade de Dados e alfabetização de dados: como elas se complementam?

Manter seus dados pessoais seguros é muito importante, certo? Caso alguém perguntar seu nome, provavelmente você diga com tranquilidade. Mas, se ela perguntar seu CPF e endereço, pouco provável você informaria. 

Esse é um cuidado que se transfere para as empresas que têm acesso às informações de clientes, fornecedores e colaboradores. 

Em um estudo que promoveu, a PwC descobriu que 92% dos consumidores acreditam que as organizações precisam ser mais proativas na proteção dos dados que coletam. 

Por isso, a Privacidade de Dados é um tema constante para as organizações, principalmente após a criação e implementação da LGPD

Outra prática que começou a se popularizar foi a Alfabetização de Dados. Uma técnica que, certamente, complementa muito bem a privacidade dos dados dentro das organizações. 

Então, para saber mais sobre privacidade e alfabetização de dados, veja esse conteúdo até o final. 

O que é Privacidade de Dados? 

Basicamente, você pode entender a privacidade de dados como um dos pilares da segurança da informação, a qual as empresas precisam cumprir. 

A prática visa proteger a confidencialidade dos dados que são utilizados pela organização, ou seja, informações confidenciais de clientes, colaboradores e fornecedores (caso tenha). 

Assim, essa empresa precisa tratar adequadamente os dados coletados, conforme as normas vigentes. Uma delas e a mais importante: Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) que, desde 2018, tem transformado o cenário de segurança das informações. 

Complemente sua leitura em: 6 melhores práticas de segurança de dados 

Entretanto, você precisa saber que a privacidade de dados não diz respeito somente em como a organização protege as informações, mas, como ela assegura o indivíduo e entende a expectativa dos titulares dos dados, deixando claro quais são referências utilizadas

Desse modo, a privacidade de dados trabalha teoricamente com ações importantes, que são: 

  • Conformidade com a legislação brasileira atual; 
  • Adaptação aos procedimentos, como: coleta, tratamento, utilização e compartilhamento; 
  • Conhecimento de que o indivíduo tem o direito de aceitar ou não compartilhar seus dados. 

Extra: prática de sempre apresentar quais são os dados coletados, qual a finalidade e outros delates, que fazem a pessoa aceitar ou não dividir essas informações com a empresa. 

O que é Alfabetização de Dados? 

Data Literacy, conhecida no Brasil como “Alfabetização de Dados” pode ser entendida como a capacidade de gerenciar, analisar e argumentar por meio de informações/dados.  

Então, como o próprio nome já diz, essa é uma prática que visa garantir o conhecimento sobre as principais habilidades sobre segurança de dados. 

Assim, são as informações: gerenciamento dos dados, conhecimento analítico, comparação e classificação de informações e, claro, o conhecimento sobre o uso de dados para se comunicar com seu público

É importante ter em mente que a alfabetização de dados eleva a maturidade de análise dos profissionais, pois eles tomam decisões baseadas em informações relevantes, consegue analisar acontecimentos e como a equipe deve lidar com eles. 

Assim, para conhecer melhor o tema, avalie essas ações que a Data Literacy promove: 

  • Avaliar os dados em relatórios; 
  • Destaque das habilidades humanas; 
  • Empresas passam a reconhecer deficiências; 
  • Mudança de mentalidade; 
  • Facilidade no acesso aos dados, encontrados por meio dos níveis mais altos de gerenciamento. 

E, tenha em mente que sem a tecnologia não é possível ter esse crescimento da alfabetização de dados e utilização das ações. Aliás, enfatizamos o investimento em soluções que, em todos os níveis de gestão, permitam o acesso de dados. 

Como a LGPD impulsionou a privacidade e alfabetização de dados? 

A privacidade de dados está completamente conectada à LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados (13.709/2018), sancionada em 2018, que entrou em vigor em 2020

Essa legislação busca proteger os direitos fundamentais de liberdade, privacidade e livre desenvolvimento da personalidade das pessoas no Brasil. 

Assim, a LGPD tem o foco em regulamentar a proteção aos dados pessoais dos indivíduos no país, em relação à coleta, armazenamento, processamento e compartilhamento desses dados. Isso em meio físico ou digital. 

A legislação de proteção aos dados se aplica a todas as empresas (pessoas jurídicas), que utilizam dados pessoais de pessoas físicas em algum momento. 

Entretanto, uma questão que, talvez, poucos entendam é que a LGPD na privacidade de dados e alfabetização de dados como meio de devolver ao titular das informações o poder sobre suas informações pessoais. 

Dessa forma, podemos ver cada vez mais organizações investindo em soluções como Customer Data Platform (CDP) e Consent Management Platform (CMP). 

Sugestão de leitura: Tecnologia atrelada à LGPD: modernização e adequação 

Passos para criar uma política ética de dados 

Veja alguns passos que sua gestão pode implementar, para que a ética de dados seja aplicada verdadeiramente! 

Passo 1: Foco nas pessoas 

Ou seja, os dados são emprestados e não são propriedades das empresas. Com isso, o foco é em respeitar os donos dessas informações. 

Passo 2: impulsione a transparência 

Então, novamente, deixe bem claro quais são os dados emprestados, o objetivo, como serão armazenados essas informações e pergunte se a pessoa autoriza. 

Passo 3: Promova conhecimento para sua equipe 

A partir de treinamentos, workshops, incentivo à leitura e outras ações, você pode promover o conhecimento acerca de privacidade de dados, por isso, essa prática é fundamental para os negócios. 

Passo 4: Responsabilidade com dados 

Assim como todo processo empresarial, o tratamento e armazenamento de dados devem ser feitos com responsabilidade e segurança, a fim de garantir que essas informações não serão expostas. Utilize a tecnologia como aliada nessa tarefa. 

Passo 5: Igualdade na utilização 

Gestão e colaboradores precisam entender que os dados serão utilizados igualmente, sem distinção ou outras formas que escapam da padronização. 

Benefícios da privacidade de dados e alfabetização de dados na empresa 

A privacidade de dados e alfabetização de dados são dois diferenciais competitivos no mercado, e até mesmo entre os profissionais. Além disso, gera benefícios, como: 

  • Melhor posicionamento no mercado,  
  • Valos agregado às organizações  
  • Fomento à educação dos colaboradores  
  • Aumento e melhor a força de trabalho. 
  • Confiança dos consumidores/clientes; 
  • Proteção inclusive dos dados das empresas. 

Ou seja, são inúmeras vantagens para os negócios, equipes e gestão. Assim, a privacidade e alfabetização de dados se torna essencial para o funcionamento interno e externo. 

StarSoft Application na segurança de dados 

Falando em proteção de dados a partir da privacidade e alfabetização acerca do uso de informações pessoais, queremos te dizer que há meios que ampliar essa segurança e tornar o processo de coleta, tratamento e armazenamento de dados muito mais ágil e automatizada, além de digital. 

Com o StarSoft Application, nosso ERP, é possível automatizar as tarefas que envolvem dados pessoais e eliminar erros humanos, vazamento das informações e má utilização desses dados. 

Temos módulos que vão desde gestão financeira até manufatura, compras e vendas, folha de pagamento e outras soluções. 

Para conhecer o ERP que auxilia na privacidade de dados, acesse nosso site e fale com um de nossos especialistas! Leve a transformação digital para sua empresa. 

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Assine aqui nossa news: conteúdos do mundo do RH.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Assine nossa newsletter

    Posts Relacionados.

    Comentários.