fbpx
Leia também

Case de Sucesso – TS Shara Você já conhece o case de sucesso da TS

leia mais

O que é ERP?

Descubra a importância do Enterprise Resource Planning para sua empresa e conheça um pouco mais sobre as ferramentas oferecidas pela Starsoft que permitirão um controle total sobre os processos na sua organização.

leia mais

Registros sobre empregados deixarão de ser feitos por Caged e Rais

Mudanças

Janeiro nem chegou, mas já temos algumas mudanças para envios do eSocial. As empresas passarão a registrar as contratações, dispensas e informações sociais do trabalhador na Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial) . Esses dados deixarão de ser preenchidos no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e na Relação Anual de Informações Sociais (Rais) .

Essas mudanças  constam na portaria do Ministério da Economia, assinada na última segunda-feira (14) pelo secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho. Segundo a pasta, a ideia é unificar todas as bases de dados para as estatísticas do trabalho no eSocial, ou seja, simplificar os envios.

Com a mudança cerca de 4,2 milhões de empresas serão atingidas. Segundo o Ministério da Economia, os empregadores serão beneficiados porque deixarão de abastecer três bases de dados sobre o mesmo assunto, o que, muitas vezes, gerava inconsistências por diferenças de informações prestadas.

As admissões e os desligamentos ocorridos a partir de 1º de janeiro de 2020 terão de ser informados pelo eSocial. As declarações da Rais de 2020 (ano-base 2019) terão de ser preenchidas na mesma ferramenta.

Transição gradual

Mas há  de se atentar, pois a mudança de primeiro modo só vale para as empresas privadas. Por enquanto, órgãos públicos e entidades internacionais, ainda não são obrigados a usar o eSocial, continuarão a usar o Caged para comunicar as contratações e demissões. No caso da Rais, além dos órgãos públicos e entidades internacionais, estão excluídas da portaria os empregadores enquadrados no grupo 3 do cronograma de implantação do eSocial. Essa categoria abrange micro e pequenas empresas inscritas no Simples Nacional, empregadores pessoa física (exceto doméstico), produtor rural pessoa física e entidades sem fins lucrativos.

Esses empregadores deixarão de usar os cadastros atuais assim que completarem a migração para o eSocial. Segundo o Ministério da Economia, a expectativa é de que ninguém mais precise preencher o Caged em 2021 e a Rais em 2022.

Fonte: PORTAL CONTÁBEIS/AGÊNCIA BRASIL

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Assine aqui nossa news: conteúdos do mundo do RH.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Assine nossa newsletter

    Posts Relacionados.

    Downsizing

    Em qualquer negócio, você tem vários custos diferentes reduzindo lentamente seus resultados financeiros. Custos diretos

    ver mais

    Comentários.